Café com a Oficina: Você vai querer conhecer a Local Motors

localmotors.jpg
 
As crianças de quase todo o mundo, principalmente os meninos, passaram bons momentos de sua infância brincando de montar e desmontar carrinhos. A cada dia os automóveis dependem menos da participação de seus condutores para sua operação, deixando para trás aquela brincadeira de infância de ser o próprio montador do seu carro.
 
Por outro lado, as indústrias automobilísticas não vivem o seu melhor momento, existe grande pressão nos países mais evoluídos para que automóveis fiquem longe do centros das cidades e que parem de usar combustíveis fósseis.
 
Enquanto uma indústria automobilística chega a gastar US$ 3 bilhões no processo do desenvolvimento de um novo carro até chegar ao mercado, a Local Motors gasta US$ 3 milhões. O primeiro projeto cuidou do sonho infantil de montar o próprio carro da empresa. O Rally Fighter para existir conseguiu a união por meio da internet, de um grupo de engenheiros e designers para projetar o carro, mantendo os “direitos autorais” destes colaboradores sobre ele. Quem o adquiriu pode participar da montagem do seu próprio carro, ficando 3 semanas na montadora, por isso o nome Local Motors. Eles querem ter microfábricas em muitas localidades, para permitir a realização deste sonho por muitas pessoas, em muitos países. Ainda mais interessante, o carro tem o código fonte totalmente aberto. Isso significa que é possível montar o chassi em casa e comprar as demais partes da Local Motors ou construir em fibra. A empresa disponibiliza os desenhos do chassi, do corpo e esquema da suspensão. Tudo grátis. Apenas logar e baixar.

local-motors-olli-self-driving-vehicle-designboom-01-818x546

 
Agora, para cuidar também da questão sustentabilidade, eles cocriaram, em parceria com a IBM Watson, o Olli. Um ônibus elétrico para doze passageiros, não precisa de motorista e tem várias partes recicláveis. Impresso em impressora 3D. Pode vir a ser um novo concorrente no mercado de transporte de passageiros, ameaçando inclusive o Uber, taxistas e empresas de transporte. Ele leva 11 horas para ficar pronto, 10 para impressão e 1 hora para montagem. Antes do Olli, haviam lançado o Strati, considerado o primeiro carro impresso em 3D, por ter sua carroceria produzida pela impressora. O diferencial do Olli é sua autonomia e a parceria com a IBM que traz a inteligência do Watson para o miniônibus. O passageiro poderá interagir com o Olli e dizer para onde quer ir e também perguntar como ele funciona. É a internet das coisas em ação.
 
O cofundador e CEO da Local Motors, John Roger, uniu duas questões: o sonho infantil com um modelo de negócio inovador e sustentável. Se o seu sonho ou de sua empresa não estão claros, ou estão baseados apenas no lucro, o futuro deve ser sombrio por aí.
 
https://localmotors.com/
Fotos: Divulgação Local Motors

Café com a Oficina: A Tesla e a criação do futuro

 tesla

Você conhece a Tesla? Seu CEO, Elon Musk, fazia parte de dois conselhos consultivos do governo americano e declarou esta semana em seu Twitter, momentos após Donald Trump anunciar que os EUA estavam deixando o acordo de Paris: “Estou abandonando os conselhos presidenciais. A mudança climática é real. Deixar o Acordo de Paris não é bom para a América ou para o mundo”. Após ele tomar essa decisão, vários CEOs de grandes empresas americanas o acompanharam.

 Sair na frente é o que a Tesla tem feito nos últimos tempos e os números acabam por antecipar um sucesso que possivelmente virá. Em abril/2017 a Tesla ultrapassou a centenária Ford em valor de mercado, passando a ser cotada em US$ 47,46 bilhões contra US$ 44,89 bilhões da Ford. O mais interessante dessa notícia é que a Ford produziu no primeiro trimestre do ano 1,7 milhão de carros e a Tesla apenas 25 mil carros.

 O que o mercado está valorizando é a visão privilegiada do futuro que a Tesla tem, com a produção exclusiva de carros elétricos e pensando inovações significativas, como pontos de recarga no meio das estradas e uma aplicação aos moldes do Uber, que eles já estão desenhando para o futuro.

 Elon Musk já tem dito a que veio. Além da Tesla Motors, foi criador do PayPal (que revolucionou os meios de pagamento) e da SpaceX (que está balançando os alicerces da conquista do espaço). Seu posicionamento em defesa do Acordo de Paris, que é um tratado que rege medidas de redução de emissão de dióxido de carbono a partir de 2020 e sua meta mais importante é tentar conter o aquecimento global, mostra a beleza e a força que tem um discurso alinhado com a prática.

 Empresas e suas pessoas, seus dirigentes, seus colaboradores não são desvinculados e mostram o que realmente se quer para o futuro. O mercado percebe e, por mais mercantilista (redundantemente falando) que seja, sabe que sem futuro não há possibilidades de ganhos para ninguém. Assim, investir em um futuro sustentável é dever e benefício de todos.

 O planeta e todas as suas demais criaturas agradecem.