Polinizando ideias: Música para crianças contemporâneas (ou Grandes Pequeninos)

grandespeq.jpg

Um homem que nasceu no meio da música, cantou e encantou crianças sendo ainda uma criança, resolveu aos 35 anos de carreira fazer um trabalho dirigido para divertir, entreter e educar crianças respeitando a inteligência dos pequenos, utilizando a música e sua competência como compositor. Este multi-instrumentista, compositor, arranjador e intérprete, é Jair Oliveira, filho de Jair Rodrigues (1939-2014), que aos 6 anos foi intérprete em um álbum de seu pai. Foi um dos componentes (1984-1986) da Turma do Balão Mágico, sucesso absoluto nos anos 1980.

Quando sua esposa, a atriz e bailarina Tânia Khalill estava grávida de Isabella, sua primeira filha, a inspiração para este trabalho com crianças surgiu. Este momento especial de sua vida fez canalizar seu desejo de compor várias músicas ligadas a pais de primeira viagem e assim acabou por produzir, em conjunto com Tânia, um livro CD que se chamou Grandes Pequeninos, com interpretações de Wilson Simoninha, Seu Jorge, Pedro Mariano, Luciana Mello, dentre outros e foi indicado ao Grammy Latino 2009.

Em 2011, com a chegada de Laurinha, sua segunda filha, compôs músicas agora inspiradas nas suas duas meninas e lançou um segundo álbum e um canal no Youtube, que se chama Grandes Pequeninos. Em breve ele e sua família, vão estrear um programa no Discovery Kids.

Suas composições trazem temas contemporâneos, como a diversidade e temas atemporais como a imaginação, sempre fazendo valer o próprio título Grandes Pequeninos, isto é não deixa nunca de considerar a capacidade e inteligência das crianças na compreensão de temas complexos.

Inspirar e ser inspirado por crianças é uma excelente maneira de perceber novos prismas de mundo, compreender conceitos, redescobrir significados e aprender mais e melhor.

Para conhecer mais:
Site: www.grandespequeninos.com.br
Clip: https://goo.gl/0SDgLz

Imagem: Divulgação Grandes Pequeninos

Café com a Oficina: Praticar para produzir o que gosta

12764582_1306834632676846_7612642855171420843_o

Muitas pessoas desejam alcançar sucesso ou reconhecimento. Uma constatação crítica do escritor David Wong é um importante cutucão no quanto é preciso praticar (e não apenas desejar) para torna-se bom em algo.

Ele diz:
“Bem, tenho boas notícias: com algumas horas de repetição você pode ficar bom em qualquer coisa. Eu era o pior escritor do planeta quando era adolescente. Eu só fiquei um pouco melhor com 25 anos. Mas enquanto estava falhando miseravelmente na minha carreira, eu escrevia no meu tempo livre, por oito anos seguidos, um artigo por semana, antes que eu ganhasse dinheiro de verdade com isso. Levou 13 longos anos para eu me tornar bom o suficiente para entrar na lista de best-sellers do New York Times. Precisei de provavelmente 20.000 horas de prática para escrever algo que preste.
Não gosta da perspectiva de gastar todo esse tempo em aprender uma habilidade? Bem, eu tenho uma boa e má notícia. A boa notícia é que o simples ato de praticar irá ajudá-lo a sair de sua casca: eu passei por anos de tedioso trabalho de escritório porque eu sabia que estava aprendendo uma habilidade única apesar de tudo. As pessoas desistem porque leva muito tempo para ver os resultados, porque elas não entendem que o processo é o resultado.”

A realidade nos mostra inúmeros exemplos de pessoas que se destacaram da multidão e o fizeram por meio de muita prática. Oscar Schmidt, do nosso basquete. que fez mais de 50.000 pontos na carreira é um deles e seu recado é: “Treine muito, mas muito mesmo, e quando estiver bem cansado, treine mais um pouquinho”. Jack Welch, um dos mais referendados administradores do mundo, também valorizava demais o próprio treinamento e o de sua equipe e aprendeu isso com seu primeiro gestor, que percebeu um erro cometido por Jack Welch ao tentar inovar, como parte importante de um processo de aprendizado e, ao invés de demiti-lo, o valorizou – pois sabia que ele havia aprendido e esse erro ele não mais cometeria. O músico Toquinho, que completará 70 anos em julho de 2016, afirmou que continua a praticar violão todos os dias.

Qual é o seu jeito de ficar expert em algo que ajude você a sentir-se realizado? Como você está investindo tempo e esforço para realmente realizar algo único e desejado?